Ultrageek #311 – TOP 10 Princesas

Ultrageek #311 – TOP 10 Princesas

Apoie a Rede Geek

RAULLL CAVALARIA GEEK!

No Ultrageek dessa semana vamos falar de… Princesas! Isso mesmo! Mas não é por isso que será um Ultrageek fofo, cheio de arco-íris e unicórnios. Vamos falar de princesas fodas, símbolos da luta pela igualdade de gêneros!!!

Pauta criada por:
Carrasco da Cavalaria Geek

Revisão:
– Lisa Fernandes

Nesse episódio: Assista o Casos de Família da Grécia antiga, lute com a princesa comunista, identifique-se com a princesa geek, mude para um mundo pansexual, encante-se com uma democrata que é um docinho, lidere com sabedoria, encare Deuses e Semi-Deuses, veja um Spin-of que chuta bundas, troque o chicote e conheça a princesa das princesas geeks!!!

Sobre o autor

A Rede Geek é um hub de conteúdo geek, com podcasts, vídeos, blog, produtos e serviços feitos especialmente para a galera que é apaixonada por tecnologia! Siga a gente nas redes sociais e fique ligado de tudo que rola por aqui! ;D #RAULLL

  • Harleys de Sampa

    Raulll, marechais!

    Sempre um prazer colaborar com a pauta!

    Como de praxe nos casos em que o top 10 sai diferente da pauta, estou postando aqui a minha lista pessoal:

    TOP 10 PRINCESAS QUE VOCÊ RESPEITA
    (AKA TOP 10 PRINCESAS GEEKS)

    O papel da princesa era, tradicionalmente, o de uma donzela em apuros que fica esperando um homem aparecer para resolver os problemas dela. Felizmente, já tem um tempo que esse estereótipo ruim tem sido reinterpretado de maneiras mais positivas. Este Top 10 é para lembrar de bons exemplos da ficção de mulheres que não ficaram esperando que visse alguém pra salvar a vida delas – elas arregaçaram as mangas e foram à luta.
    Os critérios de ranqueamento foram os seguintes:
    A princesa tem que ser uma princesa – filha do rei, do chefe da tribo, qualquer coisa assim. Não pode ser uma pessoa comum, mesmo se tiver casado com o príncipe – tipo a Bela ou a Mulan. Mais pra frente fazemos um Top 10 heroínas que não eram princesas.
    Ela tem que ser personagem da ficção. Adaptações como a Princesa Sofia ou a Pocahontas não entram.
    Ela tem que resolver os próprios problemas MAS ela tem o direito de ter um interesse amoroso, desde que não viva em função dele. É uma lista do Ultrageek, então um pouco de transância é sempre bem-vindo.

    10 – Medeia.
    Quem é?
    Personagem-título da tragédia grega de mesmo nome, a Medeia é feiticeira filha do rei da Cólquida que ajudou Jasão a conquistar o velocino de ouro. Quando foi traída pelo marido, se vingou matando a nova esposa dele, os dois filhos que eles tiveram e deixando o cara vivo para amargar a vergonha de ter sido derrotado por uma mulher.
    Por que estão aqui?
    Porque em 431 aC, a Medeia já estava ensinando pra todas as mulheres que não é pra se levar desaforo pra casa! De quebra, a tragédia em questão é um dos meus textos favoritos do mundo todo! Ela só não sobe mais alto na lista porque é difícil considerar um modelo de comportamento uma mulher que mata os próprios filhos pra agredir o marido.

    09 – Merida, do filme “Valente”.
    Quem é?
    A “princesa Disney” da Pixar, Merida é a menina que quando foi prometida em casamento pelo pai (e líder do clã) a quem quer que vencesse o campeonato de arco-e-flecha, foi lá e derrotou todos os candidatos!
    Por que estão aqui?
    Porque ela é muito legal, o visual é incrível, a história é toda pautada nas sagas escocesas, ela funciona bem como meio-termo entre os filmes da Pixar e os filmes da Disney maaaas, vamos ser sinceros: ela mais causa problemas do que resolve.

    08 – Neytiri, de Avatar
    Quem é?
    A gente já reclamou do Avatar mais de uma vez, mas é meio inegável que a filha do chefe dos Nav’i manda bem. É independente, focada, sabe lutar e ainda assim não deixa que as suas responsabilidades a impeçam de ser transante.
    Por que está aqui?
    Porque ela é um bom exemplo de princesa, mas Avatar não é um bom exemplo de filme.

    07 – She-Ra, a princesa do poder.
    Quem é?
    Irmã gêmea do He-Man e exemplo de spin-off bem executado, She-Ra nunca ficou à sombra do irmão. Ela vive suas próprias aventuras, numa dimensão paralela, ajudando os rebeldes (comunista!) na luta contra o governo ditatorial de Hordak.
    Por que estão aqui?
    Porque ela está chutando bundas – e servindo de modelo pra meninas que não queriam ficar na condição de donzelas indefesas – desde os anos 80. O desenho dela era bacana, serve de referência até hoje na cultura pop e não perdia em nada pro material do qual ela era um spin off. Ela só não sobe mais nesta lista pela absoluta falta de transância – o único personagem masculino a interagir com ela era um arqueiro com bigodinho de Fred Mercury e emblema de coração no uniforme…

    06 – Princesa Jujuba, de “A Hora da Aventura”.
    Quem é?
    Parte do elenco lisérgico de um desenho ainda mais lisérgico, a Princesa Jujuba é a regente do Reino Doce. A despeito de ela ser (mais ou menos) o par romântico do protagonista, isso nunca foi a característica mais relevante da personagem. E ela ganha pontos por ser uma geek de verdade – ser cientista é a segunda carreira dela.
    Por que está aqui?
    Porque ela é princesa E cientista! E ela aparece desde o primeiro episódio do desenho, sem nunca ter virado uma peça decorativa na história. Antes ao contrário: mesmo sendo doce como todos do seu reino, ela já mostrou que é capaz de fazer o que é preciso (tipo ameaçar o Rei Gelado). E ainda ganha pontos por conta da relação complexa e mal explicada que ela tem com a Marceline! Pra um desenho infantil, isso é um bocado de transância!

    05 – Xhena, a princesa guerreira.
    Quem é?
    Seriado de ação hit nos anos 90, Xhena é a imagem que me vem à cabeça quando eu penso em uma princesa chutando bundas! Como She-Ra, ela é outro spin-off bem executado (apareceu primeiro como coadjuvante da série “Hércules”) e indiscutivelmente alcançou um sucesso maior que seu predecessor.
    Por que está aqui?
    Porque a série era divertida na medida certa, intercalando doses legais de ação, drama e uma mistura muito louca de mitologia. De quebra, ela dá um banho na She-Ra no quesito transância: ficou com vários caras ao longo da série e tinha aquela história toda com a Gabrielle.

    04 – Princesa Nausicaa, de “Nausicaa do Vale do Vento”.
    Quem é?
    Longa-metragem de animação japonesa do mesmo estúdio que fez “O castelo animado” e “A viagem de Chihiro”, numa Terra pós-apocalíptica (quase space opera) Nausicaa é a princesa de um reino que precisa lidar com os conflitos com as terras vizinhas e o colapso do ecossistema.
    Por que estão aqui?
    Porque a personagem é incrível, o desenho é animal e ela (como a Princesa Jujuba) é mais do que simplesmente uma garota com espada e escudo chutando bundas. Ela é, literalmente, uma cientista tentando entender o mundo. De quebra, ela ganha pontos por ter um nome tirado diretamente da Odisseia, do Homero. Só não pega o primeiro lugar desta lista porque no meio de tantos filmes fantásticos do Estúdio Ghibli ela ficou meio eclipsada.

    03 – Princesa Fiona, de “Shrek”.
    Quem é?
    A princesa Fiona começa o primeiro Shrek como uma princesa tradicional – aprisionada em uma torre guardada por um dragão, esperando um príncipe vir libertá-la. E aí o roteiro vira tudo isso do avesso, inclusive ela mesma: um passeio na floresta e ela já é uma princesa que luta artes marciais, arrota, canta até os passarinhos explodirem e vira ogra ao pôr-do-sol. Num plot twist muito bacana, ao término do filme ela assume sua forma verdadeira – a de ogra – para sempre! Foda-se o padrão de beleza!
    Por que está aqui?
    Porque Shrek pode ter sido uma sequência de filmes com uma qualidade meio inconstante, mas é inegável o papel da Fiona no processo de desconstrução do padrão de princesa de desenho animado. Ademais, ela não faz feio na transância: encontrou o cara certo pra ela e teve três lindos filhos ogrinhos!

    02 –Mulher-Maravilha.
    Quem é?
    Filha da Rainha Hipólita e princesa de Themiscyra (têmisquíra, marechais) Diana não só é uma princesa – ela também é uma super-heroína. A princesa amazona enfrenta monstros mitológicos, invasões alienígenas, traficantes de escravas e décadas de machismo e conservadorismo.
    Por que está aqui?
    Porque ela é foda! E se você não tem noção do quanto ela é foda, ouça AGORA o Ultrageek 224. Ademais, ela tem o pacote completo: nunca ficou esperando um homem resolver os problemas dela, sempre levantou a bandeira da igualdade de gêneros e do empoderamento feminino. De quebra, uma mulher que pegou o Batman E o Super-Homem está definitivamente mandando bem na transância!

    01 – Princesa Leia Organa
    Quem é?
    A princesa geek mais famosa de todas! A princesa Leia é independente, sabe lutar, participou na derrubada de um império intergalático e é a personagem feminina mais importante em um filme que algumas pessoas desavisadas acham que é o marco-zero do space opera!
    Por que está aqui?
    Porque a importância dela na cultura pop é inegável. E porque ela fez o caminho completo: foi escravizada, se vingou do vilão, colaborou com os caras que vieram resgatá-la, teve um relacionamento amoroso (e um filho) e chegou tão longe que, na nova trilogia, ela é general da rebelião – praticamente uma marechal!

    Menções Honrosas (e Desonrosas).
    Tem MUITAS! Eu queria incluir a Safire (do animê dos anos 80, A Princesa e o Cavaleiro) e a Princesa Mononoke, do animê de mesmo nome. Mas já colocamos a Princesa Nausicaa, e uma princesa japonesa só já tá bom. A Saylor Moon, que é a reencarnação da Princesa Serena, também poderia entrar (não fosse o fato de que ela é reencarnação de princesa, não uma princesa em si).
    Eu também queria incluir a Estelar, dos Novos Titãs, que é a princesa alienígena do planeta Tamaran. Mas achei que a Mulher-Maravilha já estava bem como representante das princesas super-heroínas.
    Também sou fã da Princesa Kida, do desenho da Disney Atlantis, mas o desenho (a despeito de ter design de personagens do Mike Mignola) flopou quando saiu, e ninguém lembra dela. A Moana, do último desenho da Disney, também é incrível, mas foi outro desenho que flopou. A Elsa, do Frozen, poderia ter entrado maaaas… queridos, ela não é uma princesa, é uma rainha!
    😉
    Se vocês fizerem questão de incluir na lista alguma princesa do Senhor dos Anéis, tenho que dizer que a Arwen não dá… ela é muito um acessório do Aragorn. Talvez a Éowyn (a mina que matou o líder dos Nazgul, o rei bruxo de Angmar, na espadada) sirva melhor. A gente tem que dar mérito pra uma mina que mata um cara que nenhum homem poderia matar…
    As menções desonrosas também são inúmeras! Desde a Bela Adormecida e a Branca de Neve até a Princesa Peach (do Super Mario), e a Zelda (do Legend of Zelda), temos inúmeros exemplos de mulher que não serve pra nada que não seja virar o troféu do personagem masculino. Honestamente, eu nem tocaria no assunto.