ÁUDIO JOGO ULTRAGEEK: Apagão #4

ÁUDIO JOGO ULTRAGEEK: Apagão #4

Seja bem-vindo ao Áudio Jogo Ultrageek! Coloque fones de ouvido, siga as regras do jogo e prepare-se para uma experiência realmente incrível.

Se você chegou agora, comece pelo episódio 1 do Áudio Jogo Ultrageek!

Após um blecaute interminável, São Paulo foi devastada por uma guerra entre diversas gangues que farão de tudo para conquistar territórios e tomar os últimos recursos que existem na cidade. O Áudio Jogo Ultrageek conta o primeiro dia do Apagão pela perspectiva de Heloísa, uma pessoa comum que tem que cruzar a cidade de São Paulo no meio do caos para salvar pessoas que mais ama.

Se você ouviu mais vezes o episódios do caminho A, o seu final é o 5A, se o seu caminho principal foi o B, ouça o 5B.

Quer ganhar um Zenfone 3?

Não se esqueça de seguir as regras do jogo e ligar para a Heloísa via WhatsApp ou por telefone, no número 11 98765-6950. E na semana que vem você vai sofrer as consequências de suas escolhas.

Baixe o Ultrageek no seu Android

Conheça o universo de Apagão!

Compre a graphic novel Apagão!

Sobre o autor

A Rede Geek é um hub de conteúdo geek, com podcasts, vídeos, blog, produtos e serviços feitos especialmente para a galera que é apaixonada por tecnologia! Siga a gente nas redes sociais e fique ligado de tudo que rola por aqui! ;D #RAULLL

  • Andre Honoratto

    Não tenho palavras pra demonstrar minha decepção como o audio jogo #APAGAO até agora. A edição e sonorização é tão bem feita que merecia uma direção de elenco e um roteiro melhores. Roteiro, aliás, é um caso a parte. Meu Deus, não tinha ninguém pra revisar esse roteiro e pra falar que algumas coisas são tão inverossímeis que beiram o absurdo? Daria pra fazer um Ultrageek – TOP 10 só com os furos do roteiro e ainda ficariam um monte de fora.
    A necessidade da representatividade de praticamente todas as minorias em duas únicas personagens, a total falta de carisma da protagonista que só faz reclamar e espancar o amigo que passou 4 episódios tentando (do jeito dele) ajudar sem ter obrigação disso, mostrar todo o tempo homens no geral como machistas escrotos e policias como lixos, hospitais sem geradores que ficam desertos após poucas horas de falta de energia e principalmente o fato de todos os episódio chegarem no mesmo fim independente da escolha feita são exemplos de como foi mal desenvolvida essa ideia excelente e inovadora de fazer um audio jogo interativo e brilhantemente sonorizado.
    Tato, Prof. Maury e Cavalaria, me desculpem o tom hater e o desabafo, mas, como ouvinte de Podcast há tantos anos, me empolguei tanto com a ideia e qualidade sonora quando ouvi os primeiros minutos do primeiro episódio que não tinha como não dar esse feedback agora a série quase completa.
    Torço para que a percepção geral tenha sido diferente da minha e que, caso tenha sido, a ideia não morra e que tudo que possa ser considerado como um erro se torne uma aprendizagem para o próximo projeto.
    RAUL!

    • Paulo Felipe Souza

      É engraçado, a principal é tão perfeita que enche o saco, fora que os homens são todos escrotos, sem coragem e desonestos. A cada episódio eu percebo que o jogo é feito pra eu (Homem comum) não se identificar com nenhum personagem mesmo. Não que a Heloísa não seja legal, mas ela ficou tão estereotipada que fica chata.

      • André Ruz

        Pobrezinho de vc, né? O homem branco comum precisa mesmo ter mais representação do que já tem.

        • Paulo Felipe Souza

          Quem falou em cor? Nem branco eu sou. Eu falei apenas de esteriótipos de genero, não me importo com as características dos personagens (infelizmente elas existem) só que eu não me identifiquei com nenhum deles e com isso a obra perde apelo PRA MIM. Aposto que tem várias pessoas adorando as principais e isso é excelente.
          Vamos deixar de extremos. Não é porque certas minorias eram escanteadas que devemos só dar atenção a elas. Enfim… A obra é ótima e eu escuto toda semana, porém mantenho minhas críticas do comentário anterior.

    • André Ruz

      Jovem, pega leve com os caras. Da mesma forma que até os filmes Blockbuster, e jogos AAA, com investimento de milhões e equipes gigantescas, ainda tem furos de roteiro, eu acho q vc poderia dar um pouco mais de valor pro esforço deles, dar um feedback mais ameno, expondo seus pontos sem desmerecer da forma como desmereceu. Todos estamos animados com algo que inovou um pouco a midia, e que logo teremos muito mais histórias nesse molde. Antes de propor um top 10 erros de roteiro, proponha a pauta para um top 10 NOVOS e melhores roteiros e manda pros caras, tenho certeza que será bem mais produtivo pra todos. Abraços!

      • Alain Machado Dutra

        Mandou bem André

      • Andre Honoratto

        Cara, se até filmes Blockbusters e jogos AAA podem receber críticas, pq esse projeto não pode?
        Eu discordo da opinião que se você não sabe fazer melhor não critique quem fez. Meu senso crítico independe da minha capacidade de fazer melhor. Eu não tenho a mínima ideia de como se faz um roteiro, mas consigo reconhecer quando um é bom ou ruim (pro meu gosto). Assim como não sei fazer uma lasanha mas consigo dizer se é boa ou ruim quando como uma. Nunca desenvolvi um app de celular, mas consigo avaliar um quando uso por um tempo, etc.
        Assim como a direção de elenco deixou os personagens extremamente caricatos, o roteiro comprometeu a experiência pra mim devido a quantidade de furos.

        Por outro lado, todo o resto foi muito bem feito!
        O projeto tem muitos pontos positivos, pontualidade e periodicidade, sonorização, edição, inovação, criatividade, elenco e quero parabenizar a todos os envolvidos pelos pontos positivos do projeto.

        Mas o mais legal de tudo isso é que essa é só a minha opinião, pode ter bastante gente que pensa como eu e pode ter uma grande maioria que pensa diferente de mim e ninguém precisa de odiar por causa disso. É só opinião.

        • André Ruz

          Não disse que vc não deveria dar sua opinião. Disse que existem formas mais construtivas de se dar uma crítica. Fazendo como vc fez, mandando os caras fazerem um top10 só de erros, apontando q tiveram necessidade de botar minorias, só te torna um haterzinho que não tem nada a agregar.

          Por acaso vc pagou quanto pra baixar esse jogo? Quando vc crítica os AAA, vc pagou por eles, tem todo o direito, e mesmo assim, de forma amena e construtiva.

          Então, reitero que vossa senhoria aproveite seu maravilhoso tempo para coisas construtivas e pra aprender a maneirar nas suas palavras.

          • Andre Honoratto

            Combinado!
            Sobre pagar por algo, eu falei sobre isso em alguns comentários abaixo.
            Sobre usar palavras amenas, você entende que isso é totalmente subjetivo e que o que pode ser ameno pra você pode não ser para outro e vice-versa, né? Você entende que sugerir fazer um Top10 com os furos de roteiro pode ter parecido extremamente agressivo pra você mas pode ter sido normal pra mim ou pra alguma outra pessoa, né?

            Minha dúvida é quem será o fiscal da amenidade dos comentários?

          • André Ruz

            Minha avó de chapéu.

    • Acho que você não entendeu o propósito da coisa.
      O elenco tirando alguns profissionais que foram pagos pra fazer a parada, são os amigos dos caras, que fizeram na boa vontade, em alguns momentos não ficou perfeito? Não, mas a vida não é perfeita, uma história real não é perfeita, paciência jovem, o legal é se divertir e não sofrer.
      Sobre os finais levarem ao mesmo ponto, é óbvio que isso foi proposital por conta da promoção dos Zenfones, senão teríamos episódios infinitos e a coisa não fecharia no final.
      Sobre a representatividade foi uma escolha deles, comentários como o seu só nos mostra que o assunto precisa continuar em voga para que caia no cotidiano e seja tratado como algo normal.
      No mais, que pena que você não se divertiu com o jogo, foi muito legal escolher a história e mandar o áudio para a Helo, foi uma brincadeira bacana!!

      • Andre Honoratto

        Pode ser que eu não tenha entendido mesmo, mas a crítica em sim nem foi a respeito do elenco, que na minha opinião, foi muito bem. Minha crítica foi ao roteiro e à direção de elenco. Roteiro por ter muitos furos e direção por ter deixado os personagens muito caricatos. Ambos poderiam ter ficado melhores apenas com uma revisão mais apurada.
        Sobre a representatividade, gostaria que isso tivesse sido feito de forma mais orgânica. Acho que ter uma minoria representada em uma personagem é extremamente válida, mas isso funciona de verdade quando você não percebe que isso é feito, quando a personagem é muito mais do que isso e de repente você reflete e pensa “Que foda essa mulher”. Mas você concorda que quando você opta por ter uma protagonista mulher, negra, da periferia, gay, feminista, órfã, que namora um homem* transexual que apesar de se identificar como mulher ainda se mantém hétero* e que briga para ser reconhecido com mulher no hospital que trabalha num mundo onde todos os homens citados são machistas e/ou covardes escrotos, você acaba chamando muito mais atenção pra tudo isso do que pra sua história e algo que deveria ser normal acaba virando panfletário? Representatividade é importantíssimo, mas se não fizer bem feito pode chamar atenção pra uma coisa que deveria ser o normal! (Exemplo: MadMax teve uma representatividade extremamente bem-feita e criou uma personagem foda sem chamar atenção pra isso. Ja Ghostbusters teve uma representatividade panfletária e flopou independente da qualidade do filme)

        * Me referi a Deb como “homem transexual” e “hétero” mas não sei se está correto. Me desculpe se ofendi alguém e peço pra que me corrijam se o correto pra esse caso for “mulher transexual” e/ou “homosexual”.

        No mais também me diverti com o jogo, só acho que tinha potencial pra ser muito melhor. Quem sabe no próximo!

    • Cleber Ferreira – Vigilante

      Andre Honoratto, eu concordo com tudo dito à vc pelo André Ruz, em uma das respostas a este teu post.
      Existe um ditado que nos diz o seguinte: “Você que chegou agora, e vai criticar o que já está feito, deveria ter chego antes para ajudar fazer”.
      Quero acreditar que teu imenso feedback, não tenha sido como um comentário puro e exclusivo de um hater, mas realmente vc deveria ter pego um pouco mais leve em suas palavras.
      Pois como um Cavaleiro batizado desta Cavalaria, a qual vc se refere em seus comentário, me sinto na liberdade de falar para vc que discordo com suas palavras, seu desabafo.
      Aliás, “Desabafo” por não ter gostado de algo que lhe foi entregue de forma TOTALMENTE GRATUITA?
      Por um presente, quando te entregam, diz assim meu pai quem me criou, que eu devo sempre agradecer por ter ganho. Independente se eu gostei ou não.
      Vc não é obrigado a receber um presente. Você só recebe se o quiser! Lembre-se sempre disso.

      Meu querido. Não deixe que seu descontentamento te afaste dos PodCast do Ultrageek.

      Quanto aos Marechais, Tato e Prof Maury, vcs não cansarão de ouvir da maioria que este projeto INOVADOR e sem precedentes ficou Show. Melhoras…. Sim, sempre serão necessárias, afinal em tudo na vida é assim. Correto?

      Um Salve de 3 RAULLs à vocês e à Cavalaria Geek.

      Forte abraço.

      Cleber Ferreira.
      Vigilante da Cavalaria Geek!

      • Andre Honoratto

        Cleber, obrigado pelo feedback do meu comentário. Vou tentar “ponderar” minhas palavras da próxima vez que for fazer uma crítica, talvez se eu passar um pouco mais a mão na cabeça e soltar mais “Good Job” no meio do texto fique mais fácil absorver a real intenção do meu imenso feedback, que é tornar a experiência cada vez melhor e não destruí-la.

        Apenas alguma observações:
        01) Nem você nem ninguém precisa ser um “Cavaleiro Batizado” pra discordar de mim. Isso é livre! Vamos todos dar a opinião. Quanto mais opiniões, contrárias ou a favor, do projeto #APAGAO ou até o meu comentário mais ajuda os idealizadores a entenderem o que deu certo e o que pode ser melhorado. Isso é livre! Ninguém precisa ser batizado pra isso.
        02) Nao existe almoço grátis! Se algo chega de graça pra você significa que o produto é você!! Não tem NADA de errado nisso, mas não vamos nos iludir. Eu fui vendido, você foi vendido, cada download desse projeto é um número que foi vendido pra Asus dessa vez e que será vendido de novo num próximo projeto. NORMAL! É assim que tem que ser mesmo, mas imagina se todo o review negativo de um app na AppStore ou na GooglePlay fosse respondido com “Esse app foi grátis! Não reclame do que você recebe de graça!”. Agradeço o presente que recebi! Muito obrigado Rede Geek pelo projeto #APAGAO, mas isso não me faz esquecer do meu senso crítico.

        Definitivamente esse descontentamento NAO me afastará dos PodCasts, de uma maneira geral, nem do Ultrageek. Sigo ouvinte fiel e torço pra que todos aprendamos com os erros (ou aquilo que for considerado erro) e espero ter contribuído pra isso, ja que como você disse: “Melhoras…. Sim, sempre serão necessárias, afinal em tudo na vida é assim. Correto?”.

        Meu querido, apesar de essa resposta ter sido dada a você de forma gratuita, sinta-se à vontade pra discordar ou criticá-la e lembre-se que não precisamos nos odiar só pq discordamos.

        Forte Abraço
        Andre Honoratto
        Ainda sem nome na Cavalaria Geek!

    • Alain Machado Dutra

      Faço as palavras do André Ruiz as minhas. Críticas são sempre cabiveis, não existe a perfeição, mas pondere melhor as palavras da próxima vez. Entenda o trabalho que envolve uma iniciativa dessas. Algumas coisas que você falou são aproveitáveis, mas o tom agressivo chocou as pessoas e você perdeu a a oportunidade de acrescentar devido a isso.

      • Andre Honoratto

        Não é pq algo é extremamente trabalhoso (e esse projeto é um exemplo disso) que não pode receber críticas. Se, como você disse, algumas coisas do que eu falei são aproveitáveis, então minha crítica está justificada.
        Tentarei ser menos agressivo da próxima vez, desde que isso não signifique deixar passar as coisas ruins só pq o geral foi muito trabalhoso.
        Obrigado pela dica!

  • Claus Tessmann

    Eu adorei a ideia desse audio-jogo. Gostei dos personagens, apesar da maioria ser simples. De fato, gostei muito da Heloísa. Na verdade, eu e o meu namorado adoramos ela.

    A história pode ter os seus furos, mas nada que estrague a experiencia. A edição e sonorização são perfeitas. A unica coisa que eu desgostei foi o fato de que suas escolhas não interferem ao longo do jogo, pois você sempre acaba no mesmo dilema e tem que decidir entre as mesmas opções de novo e de novo.

    Eu sei que eu estava sonhando alto, mas eu realmente achei que cada episódio teria escolhas diferentes e desencadeariam em outros episódios. Tendo assim #1, #2A, #2B, #3A, #3B, #3C, #3D… mesmo que no final as opções entre os episódios colidissem entre si chegar em apenas dois ou três possíveis finais. Sim, isso seria muito difícil e o roteiro seria um inferno de revisar, mas eu não me importaria de ouvir episódios cada vez mais curtos devido a quantidade de opções.

    No final das contas, eu curtir o universo de Apagão e fiquei com vontade de conhecer mais sobre ele.

  • Marcelle Freitas

    Raulll Marechais, que jogo.
    Eu sou muito fã do universo do apagão. Eu fiquei aflita pela dona Geralda, torci pelo menininho e gostaria muito de um segundo jogo.
    Me senti jogando um livrinho de rpg e ter a compania do jogo para ir ao trabalho, nao tenho explicações, foi foda.
    Gostei de a cada episódio tentar decifrar as vozes e tentar ajudar a Helo.
    A Helo é um caso a parte, ela não e so a chefe da gangue das patinadoras, ela e da cavalaria!
    Muito obrigado pelo jogo.
    XBOX 360: comprei a pouco tempo o Zen Selfie que estava namorando a quase um ano, desde o ultrageek com o carinha da azus.
    XBOXONE: agoga quero o Zen3

  • Rômulo Péricles Furtado

    Bem bolado o audio jogo, mas a apologia de que a polícia é ruim e vil, foi chato, ainda adicionar uma gangue protetora, ou apenas contra as acoes dos oficiais.
    Sei que nem sempre a polícia age de forma “carinhosa” mas, manter a ordem é necessário, as vezes a força

  • Odisséia Campos

    me digam como vou mandar audios pra Helô se eu não tenho zenfone????? me expliquem