Quem nunca assistiu “Warriors” e ficou se imaginando nas brigas de gangues? Nas guerras que aconteciam no submundo das ruas? Eu, particularmente ficava maluco! Me imaginava sendo um lider de uma gangue a lá Toninho Cerezo no clipe de “Beat it”… Pô, falem a verdade, ser um cara “temido” era o sonho de toda criança!

Vamos voltar no tempo e ir para o começo da década de 90 para acompanhar um dos maiores sucessos da história dos games. O ano era 1992 e o console, Mega-Drive. Streets of Rage era lançado nos Brasil sob o nome da maior empresa de games da época: A Sega.

http://www.youtube.com/watch?v=hikFCwduCIQ

O jogo contava a história de uma cidade que deixou de ser um lugar tranquilo quando uma organização criminosa tomou conta de tudo, inclusive a polícia e o governo. Ninguém estava seguro. Em meio a isso tudo, um grupo de jovens decidiu recuperar toda a tranquilidade perdida. Eram eles: Adam Hunter, Axel Stone e Blaze Fielding. Você podia jogar com qualquer um deles.


No maior estilo beat ‘em up, Streets of Rage logo se tornou um sucesso absurdo. Todas as pessoas iam nas locadoras, fliperamas e pediam “briga de rua”. O jogo rapidamente se tornou absoluto nos vídeo-games de crianças, adolescentes e adultos. Com uma trilha sonora eletrônica (diga-se de passagem: F*DA!), o jogo era repleto de coisas que o deixavam “mais real”, como detalhes gráficos, animações e porradas que doiam só de olhar.

Se você não jogou Streets of Rage, hoje em dia há nas interwebs uma versão criada por fãs (e melhor que o original), disponível aqui!!!!

Agora, se você jogou, conte-nos! E lembre-se de deixar sua sugestão para o post da semana que vem!

See ya!