Sei bem que o Tato não abriu este espaço para simpels conversas fiadas e mimimi, mas como ele se chama “Pensamentos profundos”, me acho no direito também de me sentir um pouco mais ativista pró-site e menos blogger. Mas vamos parar de chat do UOL e partir para um privado melhor.

Hoje em dia, eu sinto um certo asco por abrir a internet e ver uma disputa ferrenha entre diversos blogs/sites por um espaço a mais no mundão online. É tamanho o movimento que eu não posso abrir uma aba no navegador que já me vem a mente: ‘Putz, que Ctrl+C verei por aqui?’ E isso está me incomodando.

O que custa para uma pessoa ‘away’ na internet se preocupar em produzir um conteúdo bacana, com informação detalhada, até mesmo colocar sua opinião de forma sutil, sem esquecer que está fazendo aquilo para um público específico? Ou será que eu estou pedindo demais? Para os internautas usarem um pouco mais a cabeça e criarem peças/produtos/posts com mais capacidade mental do que simples post a la Tumblr (gostei, vou compartilhar no meu). Simplesmente para terem mais acessos?

Cada vez mais a internet está se consumindo por ela mesma, assim como aconteceu anteriormente na época dos discadores. Para quem tem mais de 22 anos, vai se lembrar dos sites forrados de gifs e artes ‘sem noção’ que o público ficava maravilhado. O WeRgeeks até comentou disso no Podcast Episódio 40 – Internet nos anos 90. O que chovia de ‘men at work’ para sites em construção.

E está acontecendo agora com as ultras bandas largas. O invento da mensagem instantânea hoje é absurdo, até mesmo porque o MSN ficou obsoleto. Se eu quero comentar alguma coisa, posto no twitter. Se eu vejo um arquivo legal em .JPG, compartilho no Facebook e PLIM, todos meus amigos estão sabendo. Agora tente postar uma resenha de filme com conteúdo comentado, mais elaborado! São pouco os comentários, se é que ela será comentada.

A internet de hoje está deixando de aproximar as pessoas (como era antigamente) para deixar a velocidade ganhar com pequenos micro-contos. São poucos os sites que sobrevivem ao ócio criativo para trazer conteúdo de qualidade para muita gente. Veja a barra lateral de sites-amigos aqui no WeRgeeks e conte quantos são só sites ‘agregadores’. Contou? É por isso que sobrevivemos navegando nas ondas internéticas, temos que nos unir e pensar em nós como uma marca de força, e não um produto qualquer na prateleira do mercado.

Não procure pelo rótulo bonitinho. Procure a data de validade!