Especialmente hoje não vou falar de um gadget, mas sim de um ser vivo. Sei que é bizarro, ainda mais com a proposta do post, mas como se trata de um organismo com uma função BEM INTERESSANTE e, acima de tudo, não existir no mundo real, vou quebrar minhas próprias regras e ser feliz. Afinal, ninguém manda “ni mim”!!! =P

Para começar, não estou falando do tradutor de textos do Yahoo, mas sim do Babel Fish, a criação fantástica do genial Douglas Adams para o livro O Guia do Mochileiro das Galáxias. O Babel é um peixinho que se alimenta de frequências inconscientes e excreta frequências conscientes… parece papo de louco, eu sei, mas acho que fica um pouco mais fácil com a explicação do próprio Guia:

O resultado óbvio é que, ao colocar o peixinho no ouvido, de uma maneira simbiosicamente mágica você consegue entender tudo que é dito em qualquer idioma. Imaginem as possibilidades de termos o mundo todo se entendendo novamente, não filosoficamente falando, é claro, mas se entendendo! rs

E você, teria moral de usar um Babel Fish?

P.S.: Meu lado empreendedor me disse agora: que tal uma empresa de aluguel de peixes Babel para agências de turismo?