Bullying #EuNaoCurto

Bullying #EuNaoCurto

Nessa postagem coletiva da campanha #EuNaoCurto eu poderia contar diversas situações de bullying que já sofri, que vivenciei como professor ou que o dia-a-dia nos coloca. Mas quando comecei a desenvolver a ideia na minha cabeça, o lado sociólogo começou a falar mais alto, e comecei a me questionar o porque o bullying acontece, e são esses pensamentos que resolvi compartilhar com vocês.

Vamos começar por um pergunta básica. Por que as pessoas praticam bullying?
Para responder essa pergunta poderíamos chegar em várias respostas, mas para mim, a essência de cada resposta que poderíamos dar para essa pergunta é Princípio.

Nossos princípios são iniciados pelo nossos pais a partir de nossa educação e que acabam se moldado com nossas experiências de vida e necessidades.
Quando uma criança pratica bullying na escola com um colega de sala, não significa que os pais ensinaram isso a ele diretamente, mas sim que seus princípios o levam a tomar essa atitude. Esses princípios que são moldados pela nossa convivência familiar e social.
Essa criança, que será um futuro adulto, cresce em um meio que o seu desenvolvimento está baseado na decadência do outro, esse é o principio de nossa sociedade! Isso é o bullying.

Vocês podem falar “Prof.Maury, você está exagerando”! Então vou pedir para vocês refletirem para uma situação do nosso dia-a-dia, que normalmente passa desapercebido.

Se você mora na periferia de uma grande cidade e quiser comer uma deliciosa esfiha as 2 horas da manhã de uma segunda-feira, ela chega até você em no máximo 28 minutos. E se você precisar de uma ambulância?

Esse é o tipo de principio que nossa sociedade nos passa, que está no nosso dia-a-dia e que não percebemos. Isso acaba sendo incorporado por nós e refletido nas nossas atitudes. Combater o bullying e rever nossos princípios!

Bullying #EuNaoCurto!

Sobre o autor

Geek viciado em tecnologia móvel, Prof. Maury realmente merece o título de Professor, bastam alguns minutos de conversa e vocês concordarão! Formado em Ciências Sociais, já pensou em ser diplomata, mas foi falando besteiras nos podcasts da Rede Geek que atingiu seu ápice de filosofia. Com sacadas rápidas e frases de duplo sentido, ele ainda consegue falar sério e mostrar toda sua bagagem intelectual.

  • Leandro M

    peguei o conceito “do seu desenvolvimento está baseado na decadência do outro” mas não a analogia da ambulâcia …

    • Falae Leandro, beleza?
      Quis dizer que os principios de nossa sociedade estão tão distorcidos que um entrega de comida chega mais rápido que uma ambulância!

      Abraços

  • Esse é um grande problema do Brasil(referente a analogia). TEmos também todo o barulho que está sendo feito com o caso do Rafinha Bastos, tantos políticos nos roubando e estão levando a sério um humorista.

    Pobre Brasil.

  • Concordo com o Prof. Maury e exponencio, é uma questão de ponto de vista, medida sócio-educativa e parâmetro para ter um crivo, haja vista que assim como no caso do fast-food, conseguimos sensibilizar o valor baseado em interesse, tal qual define os padrões aceitos e inaptos à uma sociedade que não é de fato uma sociedade afinal remete ao Social que origina-se do socialismo, mas não vou derivar até a União Soviétiva e voltar.
    O que quero dizer é que existem linhas tênues entre todas as definições, levando ao nosso mundo mais próximo (não categorizo você leitor), sou Geek, sou mesmo? O que me define Geek? O que me define um clássico CÊ DÊ ÉFE? Isso é um parâmetro, um estereótipo baseado em padrões, o bulliyng ao meu ver origina-se no educar, no transcender a questão de apenas “passar matéria” e sim formar cidadãos com senso, senso crítico, aceitação de conceitos, filosofias, culturas, até mesmo sofistas que devem ser filtrados para o lado de fora, mas absorvidos como ponto de vista diferente, pois, todo absurdo tem como padrão o que tenho como verdade.
    Não foi Bullyng ser chamado de CÊ DÊ ÉFE, é Bullyng ser rotulado? O que define um rótulo? Algo que você é ou deixa de ser através dos olhos de um grupo?
    A mensagem é existe o seu grupo e pessoas que compreendem o seu ponto de vista, mas e você mesmo, é capaz de olhar sob outras perspectivas? É capaz de pensar que qualquer atitude é entendível sobre outra visão? Pense nisso.

  • Hiro

    Estou em dúvida se eu comento isso aqui ou não…

    Anyway, vale como convite à reflexão do nosso geek master. Me lembra uns posts antigos dele e coisas q conversamos por aí…

  • deixa mais claro que o post foi pago pela Norton/Symantec. e avisa pra eles que “bullying” não tem “Y” maiúsculo (afinal, “bully” e “bullies” não têm a última letra maiúscula).
    e outra coisa: por legislação federal, o Delivery Habib’s não tem mais a garantia de 28 minutos (a justificativa federal: “reduzir acidentes no trânsito”).