Nessa postagem coletiva da campanha #EuNaoCurto eu poderia contar diversas situações de bullying que já sofri, que vivenciei como professor ou que o dia-a-dia nos coloca. Mas quando comecei a desenvolver a ideia na minha cabeça, o lado sociólogo começou a falar mais alto, e comecei a me questionar o porque o bullying acontece, e são esses pensamentos que resolvi compartilhar com vocês.

Vamos começar por um pergunta básica. Por que as pessoas praticam bullying?
Para responder essa pergunta poderíamos chegar em várias respostas, mas para mim, a essência de cada resposta que poderíamos dar para essa pergunta é Princípio.

Nossos princípios são iniciados pelo nossos pais a partir de nossa educação e que acabam se moldado com nossas experiências de vida e necessidades.
Quando uma criança pratica bullying na escola com um colega de sala, não significa que os pais ensinaram isso a ele diretamente, mas sim que seus princípios o levam a tomar essa atitude. Esses princípios que são moldados pela nossa convivência familiar e social.
Essa criança, que será um futuro adulto, cresce em um meio que o seu desenvolvimento está baseado na decadência do outro, esse é o principio de nossa sociedade! Isso é o bullying.

Vocês podem falar “Prof.Maury, você está exagerando”! Então vou pedir para vocês refletirem para uma situação do nosso dia-a-dia, que normalmente passa desapercebido.

Se você mora na periferia de uma grande cidade e quiser comer uma deliciosa esfiha as 2 horas da manhã de uma segunda-feira, ela chega até você em no máximo 28 minutos. E se você precisar de uma ambulância?

Esse é o tipo de principio que nossa sociedade nos passa, que está no nosso dia-a-dia e que não percebemos. Isso acaba sendo incorporado por nós e refletido nas nossas atitudes. Combater o bullying e rever nossos princípios!

Bullying #EuNaoCurto!