Ultrageek 51 (WeRgeeks) – O Rádio

Ultrageek 51 (WeRgeeks) – O Rádio

Olá, olá, olá Geeks!

Passamos pelo parto do episódio 50 e finalmente chegamos ao 51. Nesse episódio do WeRgeeks Podcast Tato e Prof.Maury recebem convidados que já usam o banheiro de porta aberta aqui em casa: Leo Lopes, Daniela Monteiro e Douglas Falsarella vão dar uma verdadeira aula sobre a história do Rádio! Para a galera que estava sentindo falta de um tema mais voltado para tecnologia, esse mega podcast repleto de informações é para vocês! No episódio de hoje descubra (ou não) quem realmente inventou o rádio, como funciona essa tecnologia e porque alguns radialistas tocam várias músicas de 10 minutos em sequência!!!

 

Sobre o autor

A Rede Geek é um hub de conteúdo geek, com podcasts, vídeos, blog, produtos e serviços feitos especialmente para a galera que é apaixonada por tecnologia! Siga a gente nas redes sociais e fique ligado de tudo que rola por aqui! ;D #RAULLL

  • rick rolled

    lol

    ainda estou ouvindo, muito bom ^_^

  • Saiu o ÚNICO podcast que consigo baixar aqui na firma… mídias em áudio e vídeo (incluindo streaming) são bloqueadas aqui, mas por uma feliz coincidência, o weRgeeks não!

    #todoscomemora

    Bora baixar, ouvir para fazer os comentáááários-lhes!

  • HAHAHAHAHAH… Doutor Pimpolho, que saudade!!!

    Ótima lembrança, geeks!

    #choreiderir

  • Pedro Miguel

    XD

    Muito bom! Estão de parabéns!

  • Não apareceu no feed ainda. Vou ouvir assim que possível. No momento estou ouvindo MRG. Como sempre, valeu @Nika_Miranda por avisar!

  • MUITO, MUITO bom!!!! essa música do final…. cara, eu fui mandado pra diretoria por cantar ela na escola! hahahahahaha óbvio que não rolou nada, pq minha irmã era puxa saco da diretora e não aconteceu nada comigo… hehehehe gorda maldita! (a diretora, não minha irmã!)

    Eu tinha um programa que gravava com uns amigos da rua… não sei onde está a fita k7, mas se achasse, eu até disponibilizaria um áudio….

    Dr. Pimpolho? tenho uns vários audios. Qdo comecei a mexer em html entrei no site da mix e abri o código fonte e vi o link para TODOS os episódios que tinha ali para download… joguei os links no getright (alguém lembra desse downloader? hehehe) e baixei…. está em algum CD de backup perdido por aí! hahahaha MUITO bom!!!!

    Uma coisa q o leo falou e só me fez sentido agora:
    Minha prima trouxe um radio do japão no começo dos anos 90 e eu ouvia a tv por ali, pq minha vó ficava vendo programas na tv…. lembro de ouvir chaves e TOM E JERRY! e SABER QUAL ERA O EPISÓDIO, mesmo sendo música clássica de fundo! hahahahaha

    Abss,
    Ed

  • Estou aqui de volta para comentar para valer. Este programa foi excelente e considerando que também ouço Radiofobia, teve partes que não dava para saber qual podcast estava ouvindo hehehe.

    Achei bem legal vocês terem lido meu e-mail, de fato queria que algum podcast abordasse este tema sobre a vida digital, ou melhor, sobre a quantidade de informação que temos disponível. Hoje compramos livros a R$ 9,90, baixamos músicas e discografias completas com alguns cliques, temos uma podosfera gigante e rica, temos diversos blogs e sites com informações úteis, é muita diversidade de mídia e de informação, é muito complicado conseguir acompanhar tudo.

    Embora não comentei no meu e-mail, atualmente tenho ouvido além do WeRGeeks e Radiofobia, tenho curtido Rapaduracast, Papo de Gordo, Matando Robôs Gigantes, Piratacast, Filecast, (esperando o pessoal voltar a gravar o) Papo na Estante, (esperando novos episódios de) NerdExpress e Metacast, e também claro Nerdcast. Tem também alguns outros que ouvi alguns episódios que ou acabaram ou faz tempo que não lançam nada ou que só ouvi episódios de meu interesse.

    O mais legal de tudo isso é que cada podcast tem sua característica, cada um tem suas vinhetas e duração e modo de ler os e-mails. Acho muito rico toda essa diversidade, tanto que já nem me importo com os sotaques. Além disso, hoje em dia a qualidade de áudio dos podcasts está excelente e ao menos os que citei já estão bem maduros.

    Falando sobre rádio, gostava bastante da 89 A Rádio Rock, e pouco antes de se tornar só 89, percebi que começou a tocar umas coisas estranhas. Bem, no meu e-mail comentei que curto Jazz e Blues, de fato, gosto destes, gosto de MPB, gosto de Heavy Metal, gosto de música clássica, gosto um pouco de Grunge, e vamos parar por aí. Gostava dos programas, gostava dos locutores e até cheguei a fazer umas brincadeiras com meus irmãos, a vinhetinha era “Radio Panaca!”. Hoje em dia o pessoal até fala bem da Kiss, mas prefiro definir o que ouço, assim como defino o que assisto. Temos que considerar que rádio e televisão possui muita propaganda e nem sempre o que passa lá é de boa qualidade.

    Teve uma época que fui músico, sempre achei uma sacanagem ter que pagar para as rádios tocarem suas músicas. A meu ver as rádios deveriam pagar pelos direitos autorais ao exibir uma música. E TV então nem se fala, TV só presta se você tiver TV a cabo e só se deixar no History ou no Discovery, ou então nos canais de séries – saudades dos tempos que chegava a assistir até 8 episódios de Simpsons.

    Dificilmente acho que ouviria rádio hoje em dia. Tenho diversas discografias e existem diversos podcasts. Gosto de fazer essa separação. Só queria que surgissem novas bandas novamente, acho que das mais recentes só Epica e Chickenfoot se salvam. E acredito que a função do podcast hoje em dia é nos trazer informação e humor, além da vantagem de ouvir na hora que eu quiser, o rádio te deixa um pouco mais preso à programação.

    Comentando o comentário acima, quando comecei a ouvir Billie Holiday, sempre lembrava de Tom e Jerry.

    Abraço a todos e continuem fazendo este trabalho excelente.

  • CARA… eu concordo com voces… ouvintes novos tem que comentar… então eu não comentarei… OHWAIT!… auihiuauihauihuiahui

    cara… o time B do wergeeks (tambem conhecido como time A do radiofobia) é muito bom cara! uiahhauihuiahhuiaahiuhaihiauhuia… por favor “traganlhe-os” sempre que possivel!

  • Bruski

    Fala ai galera!!!
    Independente da pauta roubada (ou não) o programa ta demais, realmente uma homanagem a criação do radio por um Brasileiro, uma pena a idéia não ser oficialmente reconhecida, mas que da um pouco de orgulho saber que a nossa terrinha aqui faz umas coisas interessantes, mas decepciona saber que desde sempre nossos projetos não são levados em consideração.
    No mais, Léo Lopes e Daniela Monteiro estão excelentes como sempre, e o Douglas também mandou muito bem. Um programa gostosinho do jeito que o ouvinte do WerGeeks (ou como diz o Léo verrrrgegegéks) gosta.
    Só resta dizer que a leitura de e-mail foi meio que emocionante pois me identifiquei muito com o que o Danilo escreveu, e faço as palavras dele a minha, acho que o podcast não atrapalha no trabalho, só em momentos “pensantes” também tenho que pausar e botar a caxola para funcionar, mas no “modo automático” como dizemos aqui na empresa acho que não atrapalha nada. E se eu como bom apreciador de podcasts tiver uma empresa algum dia, criarei um servidor de podcasts que ao sair o RSS baixe automáticamente e disponibilize para as pessoas, isso seria excelente (ou não?)!!!!
    No mais, Tatinho e Prof. Maury estão de parabens, o programa ta foda foda como sempre, vocês são demais caras.
    Continuem sempre o ótimo trabalho.
    Abraço

    #CAVALARIAGEEK

  • Caraca, um dos podcast mais didáticos que já ouvi, e olha que não esperava entender tão cedo sobre a história do rádio!

    Abraços Geeks!

  • O comentário do Danilo Luiz foi maior que o e-mail que enviei, hehehehehe!

    Mas resumindo bem resumidamente o que mandei para os guris, achei o cast fantástico, em particular pela exibição de conhecimentos sem igual do Léo Lopes, que tava totalmente sem freio (graças).

    Sempre curti a mídia rádio, mas onde ela representou uma constante na minha vida foi na adolescência… agora, anos mais tarde, essa paixão voltou, mas na forma do podcast o/

    Avante, #CavalariaGeek

  • Amigo-lhes foi um prazer participar deste podcast com vocês, a Dani e o prof Leo Lopes, o cara é uma Wikipedia do Rádio.
    Um grande abraço

  • Excelente!

    como já comentei em algum lugar, eu sinto que nas rádios fm hj falta aquela vibe dos programas que tinham no final dos 80 até o fim dos 90. Claro, ainda temos representantes disso (o Panico na rádio continua e mais alguns programas na Transamérica), mas nada que leve o ouvinte a ficar preso não só pela música, mas pelo programa em si, como fazia, por exemplo, o Ronco na Band fm (eu gosto de rock e detestava o tipo de música, mas por muito tempo era o programa mais engraçado da manhã) e o Zé Luis na 89.

    Chorei de rir ao ouvir as vinhetas e digo que realmente muita gente sacaneava/roubava o Tesla, que apesar de pregar o celibato para desenvolver o intelecto, era um gênio e até hoje encontram escritos dele com projetos que na tecnologia de hoje ainda não conseguimos colocar em prática. Existe um documentário do History Channel sobre o Tesla que coloca algumas das suas descobertas/inventos contrastando com o Bell (ou a GE, não lembro) e apesar de repetitivo em algumas partes, é excelente.

    Ah! e é sempre gostoso ouvir a voz da Dani Monteiro… dilíça!

  • Marcos Tasca

    Parabéns!

    Mais um ótimo cast.

  • Cast de garbo e elegância, no mínimo, a nível de wRg!!!
    Esse podcast foi a minha aula de um semestre inteiro sobre rádio na faculdade, pena que estamos 2 anos atrasados!

    Huahauhauahha
    Abraços pessoas do coração.
    Coração não, caraleo!

    Salve #CavalariaGeek

  • Salve, WeRGeekaiada.

    Caras, ficou difícil comentar dessa vez. Vou apelar pro mais fácil e usar um dos vários bordões do mestre Leo Lopes: esse programa ficou TOTALMENTE EXCELENTE.
    Didático (pra caralho), divertido, instrutivo, vitaminado… ops… err… então, ficou show.
    As inserções de programas tão bacanas como o dos “Sobrinhos”, bateu uma nostalgia foda. Valeu mesmo pelo programa.

    Abração.

    PS.: Ah é… a teoria do nick. Resumindo (ou não): Na era pré-miguxês (que fique bem claro) tive a “brilhante” ideia de criar o nick “Kio”, para frequentar um fórum de HQs, achando que todos entenderiam a jogada com o K=Ca.
    Qual não foi minha surpresa quando descobri que todos, mentalmente, me chamavam de “Quio”.
    Por conta de minha investida no mundo podcastal como comentador retardad… err… contumaz, acabei integrando o “(Caio Cesar)” para não me sentir tão descaracterizado ao ouvir o nick, afinal meu nome é Caio e não sou japonês.
    Contudo, entretanto, todavia, hoje não me incomodo que me chamem de “Quio”, mas admito que o Prof. Maury, com sua sapiência e sagacidade, matou a charada. =D

  • Roberto Tailor

    O programa valeu pelo conteúdo histórico relevante, por convidar este podcaster que é um patrimônio pra o humor brasileiro (Leo Lopes) e relembrar os sobrinhos do ataíde no 011 14 0 besta! ahahaa

    Parabéns!

  • Falae Geeks!

    Excelente episódio.
    Cheguei até o WeRgeeks através de tantas indicações diferentes que fica difícil citar todo mundo.
    O fato é que sou um ouvinte novo (depois de ouvir tanta gente falando bem, não podia deixar de prestigiá-los) e me considero um geek. 🙂

    O modo de funcionamento de um rádio era um assunto pelo qual sempre me interessei. Foi um papo bem geek mesmo, e o Leo Lopes deu uma excelente aula sobre este meio de comunicação tão banal e que infelizmente vem perdendo bastante força no mundo moderno.
    Sempre soube do lance do celular com o computador mas só neste episódio eu entendi bem direitinho como acontece o fenômeno e como captamos áudio de outros meios no rádio.
    Parabéns pela iniciativa de falar sobre esta tecnologia e parabéns novamente por acertarem em cheio os convidados.
    O Douglas ficou meio apagadinho, mas eu senti que ele estava atento a tudo que o Leo largava no cast, para fazer qualquer intervenção necessária… O Sr. Lopes demonstrou todo o conhecimento e acho que por isso o cara ficou meio ausente…

    Enfim, foi um excelente episódio.
    Captação e edição “totalmente excelentes” me tornaram mais um membro da Cavalaria, com certeza!

    Parabéns pelo cast, pelo episódio e por elucidar questões referente a estes assuntos tecnológios, cada vez mais presentes nos dias de hoje.

    Abraços

    Ja ne!

  • @Myanjos

    Parabéns,
    Eu por ser uma Geek iniciante amei o cast, excelente conteúdo, admiro como vcs abordam e debatem os temas com muito humor que é inigualável … xD
    Abraços
    Michelle.

  • Amigos do We are geeks.
    É a primeira vez que escrevo pra vocês, mas ja escuto o seu podcast há algum tempo.
    Assim como a maioria dos ouvintes conheci e passei a escutar o podcast de vocês através do Radiofobia.
    Ouvi uma verdadeira aula de história do rário, aprendi muito sobre ondas eletro magnéticas com o Prof. Leo Lopes, aliás ele deu um show de conhecimento, parabéns a ele.
    A presença da Dani Monteiro é sempre um brinde aos nosso ouvidos.
    O Douglas Falsarella também, apesar de ter ficado a maior parte do tempo como orelha do programa.
    Caras, gostei muito!!!
    Parabéns redundantes!!!
    Um abraço nos PÂNCREA!!!

  • Rodrigo Cesar

    Aqui é o Rodrigo e eu ainda sou Radio-Cidadão
    A parte sobre radioamadorismo ficou misturado entre radioamadorismo e radio-cidadão
    O radioamador é a pessoa que pratica a atividade de radioamadorismo. Para ser radioamador, precisa fazer curso em associações de radioamadores ou estudar em apostilas e depois fazer a prova para as classes A, B e C. A mais fácil é a classe C onde o futuro radioamador inicia no radioamadorismo. Com a licença de radioamador classe C vc pode operar equipamento de rádio nas frequencias de 6 metros em uhf, 2 metros – 144 a 148 Mhz em vhf em frequencias de 400 Mhz em uhf. O vhf e uhf funcionam através de repetidorar que auxililiam na comunicação do radioamador. As classes B e A exigem conhecimento de radio-telegtrafia, isso é um pouco mais complicado e equipamentos melhores e mais caros.
    Para iniciar no radioamadorismo recomento iniciar pela classe C mesmo.

    Agora vamos falar de RADIO-CIDADÃO

    radiocidadão é a pessoa praticante ou usuário do serviço de radio do cidadão. Esse serviço sim é o modelo utilizado por caminhoneiros e não o radioamadorismo.
    O equipamento de radio utilizado é também chamado de rádio PX. Pode chegar para um caminhoneiro e perguntar se ele tem radio px no caminhão. Se o caminhao tiver uma ou duas antenas compridas com uma mola na parte de baixo da antena, é bem provavel que ele vai ter um radio px instalado.
    Eu sou usuario do serviço de radiocidadão desde 1996 e não precisa fazer curso para operar o equipamento. Basta ir ate uma das delegacias regionais da Anatel e pedir ingresso ao serviço de radio do cidadão. Vc paga uma taxa de entrada e cada ano paga uma taxa de uso do espectro do serviço. É também um serviço muito legal mas como não precisa fazer curso, é uma frequencia muito bagunçada onde existem operadores clandestinos que não pagam taxa e operam equipamentos ilegalmente, inclusive caminhoneiros não fazem a licença de serviço e usam equipamento de forma fora da lei.
    Euipamentos legalmente homologados que operam dentro da watagem legal, transmitem até a distancias de mais ou menos 70 Km e depois somente a partir de 1000 Km.
    É muito legal mas estou pensando em partir para a classe C do radioamadorismo.

  • Diogo Lopes Bastos

    Foi ótimo ouvir o Leo Lopes falando sobre o radio de uma forma apaixonante não só por conhecer o assunto mas por gostar dele, e como sempre o Brasil não quer ser nada no mundo, deixando tudo passar por preguiça.

  • Rodrigo Cesar Worms

    Por falar em rádio vai uma pergunta.
    Recentemente a Anatel publucou que vai autorizar a mudança das rádios AM para as frequencias de FM devido a melhor qualidade. Assim, como vai ficar o dial dos equipamentos de rádio atuais? Vai empilhar mais um monte de rádios de 88 a 108 Mhz?? Vai precisar trocar para equipamentos de rádio que possuam as novas frequencias? Vai tem um dial de FM 1 e outro de FM 2??

  • Rodrigo Cesar Worms Não sei pq os caras já não aproveitam e FINALMENTE define o rádio digital! É muita complicação… muita!

  • StefanPasoldDamacena

    Mano, o Léo deu uma aula e mostrou por que ele é o Léo afinal.
    Muito bom e informativo o cast, achei super foda.
    Abraços.