Filmes Geeks – A.I. Inteligência Artificial

Filmes Geeks – A.I. Inteligência Artificial

Aproveitando a onda de robôs aqui no Filmes Geeks, não poderia deixa para trás um filme animal de Steven Spielberg: A.I. Inteligência Artificial. Na época, aclamado como um baita filmaço de efeitos especiais, aliás, que não ficam nada datados para se ver hoje em dia, não é nenhum um filme de ação, mas sim de um drama/aventura.

David é um Meca(robô) que entra em uma família como um elemento afetivo para suprir a falta do filho que estava em estado vegetativo, mas após algum período, o verdadeiro filho(de carne e osso) volta para casa o que obriga o casal a se livrar de David… Apesar de se tratar de uma visão futurista de Pinóquio, não espere um filme muito feliz e/ou infantil viu, a parada vai muito mais para o lado da perda da inocência e do amor não retribuído do pequeno robô por sua mãe adotiva. Uma ficção científica com outra pegada, mas que recomendo com certeza para todos os geeks! ;D

Título original: A.I. Artificial Intelligence
Ano de lançamento: 2001
Diretor: Steven Spielberg
Duração: 146 min

Sobre o autor

Idealizador de toda a bagaça, Tato é um aficionado por blogs e podcasts e, acima de tudo, um completo viciado por tecnologia! Já trabalhou com robótica, hidroponia, participou de um reality show, foi professor de computação gráfica, diretor de arte em agências online e offline, organizou eventos e dedicou mais de 90% de sua vida para a comunicação. Por isso, se tornou a mente criativa da parada toda!

  • Caras esse filme me dá um pânico incrível. Parece que os atores estão presos, falta expressão. Mas mesmo assim é demais, quem nunca viu deve assistir. Quem já assistiu, não deve esquecer.

  • raphs13

    É bem maneiro o filme, mas mais um voto de que o próximo fpgv tem que ser do Blade Runner D:

  • É um excelente filme, interessante pelo arquétipo de inocência quebrada, versus pureza mantida, é uma dualidade fascinante… Faz prender a atenção, a troca de diretores no meio do caminho faz o filme notoriamente ser dividido em 2 permitindo uma experiência única em sentir o talento de dois diretores feras abordando o mesmo tema.
    É importante ressaltar a abordagem tecnológica tendenciosa nesse filme me refiro no contexto robótica, não só na I.A que ainda estamos longe de tamanha perfeição, mas no movimento respeitado, na diferença entre finalidades entre os robôs, no foco em convívio social robô-homem harmoniosamente enfrentando duramente o até então visto como o “caos previsto” que seria esse convívio…
    É um filme altamente reflexivo, seja conceitualmente por recuperar uma história de nossas infâncias ou mesmo pelo profissionalismo empregado em cada detalhe tecnologicamente mais restrito em sua época de produção…
    Parabéns ao WeRgeeks pela escolha, é minha primeira resposta em posts, espero participar mais em feedback de um excelente trabalho conduzido 😉 obrigado!