Retro-review BioShock 2

Retro-review BioShock 2

Bem-vindo aos retro-reviews. Estes textos têm como objetivo sugerir games recentes, mas não muito recentes, que acreditamos que você deva jogar. E como estão no mercado há algum tempo você já deve ter um ambiente que os suporte e deve encontrá-los a preços bem mais acessíveis que os lançamentos. Divirta-se e deixe suas impressões depois de jogá-los.

Aviso de SPOILERS
Este review contém SPOILERS (revelações de fatos importantes) de BioShock. Caso você não o tenha jogado sugerimos fortemente que o faça, pois BioShock é uma obra prima. Se resolver continuar lendo este retro-review esteja ciente que parte de sua experiência ao jogar o anterior pode ser prejudicada. Então, você poderia gentilmente jogar BioShock?

Outro sonho corrompido
Já sabemos que utopia é um sonho irrealizável, ainda assim há pessoas que acreditam que ele seja possível. Quando alguém assim se depara com algo próximo do que considera ideal, seu desejo supera qualquer racionalidade e seu objetivo passa a ser exclusivamente moldar aquilo à própria perfeição. Como um explorador ao colocar os olhos em seu objetivo, esta pessoa avança diretamente a ele esquecendo suas últimas armadilhas e, portanto, se tornando mais vulnerável que em qualquer momento passado. E é assim que muitas buscas acabam, de maneira rápida e trágica.

Sofia Lamb foi originalmente trazida a Rapture por Andrew Ryan para ajudar seus habitantes que apresentavam algum tipo de estresse psicológico. Como uma idealista, Lamb acredita que sua visão altruísta é melhor que a utopia de Ryan e iniciou um grupo que chamou de A Família com o objetivo de sobrepujar Ryan e transformar Rapture em sua própria utopia.

Neste processo ela usa você, o primeiro Big Daddy e conhecido como Subject Delta, e quando o considera sem valor o força a cometer suicídio. Dez anos se passam, oito após os acontecimentos de BioShock, e você é trazido de volta por Eleanor, a quem está ligado. E aqui começa sua busca.

Erros inocentes, ainda assim erros
O enredo de BioShock 2 é muito bom, mas comete o maior dos pecados, ele tenta amarrar sua história de maneira convincente à história do primeiro jogo e com isso cria pontas soltas não existentes, inconsistências e dúvidas sem uma explicação razoável. Sofia Lamb é uma personagem extremamente importante para a história de Rapture, então como ela não é ao menos citada em BioShock? Novos inimigos estão presentes, mesmo que não tenha sentido não tê-los encontrado antes. Tenenbaum, uma das personagens principais do original, volta a Rapture e rapidamente é cortada da história, uma inclusão desnecessária que poderia ser substituída facilmente por uma gravação. Ryan participa indireta mas constantemente por gravações, mesmo Fontaine está ali de alguma forma, ainda assim você só é apresentado A Família neste jogo. A importância dos fatos narrados em BioShock 2 jamais poderia ter sido ignorada no primeiro e isso é o que há de ruim neste jogo.

Uma sequência muito boa
Se você deixar de lado o problema com o enredo BioShock 2 se torna um grande jogo. A jogabilidade é muito semelhante a do primeiro e o clima é quase o mesmo. Art deco e steampunk estão presentes como não poderia deixar de ser, afinal estamos de volta a Rapture. Novas armas são dadas pois agora você é verdadeiramente um Big Daddy, e ainda melhor, um Big Daddy capaz de usar plasmids e isso o torna um inimigo poderoso. Muitas novas áreas de Rapture são apresentadas, um pouco mais de repetição que originalidade, mas interessantes por si mesmas. Além disso há um novo e perigoso oponente: a Big Sister. Uma versão feminina dos Big Daddies como você, mais ágil e agressiva, um adversário de valor que deve ser respeitado.

Um jogo que vale cada minuto
Se você for capaz de racionalizar o enredo, considerar, por exemplo, que a volta de Jack à Rapture no primeiro jogo desencadeou eventos tão significativos que Lamb e A Família poderiam ter sido temporariamente esquecidas, então você irá se divertir muito. Bioshock 2 é incrível como BioShock foi em jogabilidade, gráficos e som, portanto vale seu tempo e dedicação. E o final é digno do original, ou melhor, os finais. Suas decisões influenciam para que a conclusão da história seja apresentada de seis formas diferentes e tenho certeza que seu final será tão épico a você quanto o meu foi a mim. Seja bem-vindo de volta a Rapture.

Sobre o autor