Retro-review Left 4 Dead 2

Retro-review Left 4 Dead 2

Bem-vindo aos retro-reviews. Estes textos têm como objetivo sugerir games recentes, mas não muito recentes, que acreditamos que você deva jogar. E como estão no mercado há algum tempo você já deve ter um ambiente que os suporte e deve encontrá-los a preços bem mais acessíveis que os lançamentos. Divirta-se e deixe suas impressões depois de jogá-los.

Enquanto isso, em outro local…
Apocalipse zumbi. Sim, apocalipse zumbi. Ou você realmente acha que isso vai ter um final feliz? Fim do mundo, não tem escapatória. Não haverá um grande herói com a solução perfeita, não haverá uma vacina para reverter o processo, os deuses não vão solucionar o problema para nós. Já era. Tente sobreviver o máximo de tempo que puder caso acredite que o outro lado é pior que este. Então se você não acreditou no primeiro aviso no retro-review de Left 4 Dead comece a se preparar já com a segunda parte do treinamento, ou como muitos insistem em tratá-lo, a sequência de um jogo.

O novo grupo
Diferente de seu antecessor, L4D2 tem personagens mais humanos, menos caricatos. Nick, um apostador, Rochelle, uma produtora assistente, Coach, um treinador de futebol americano, e Ellis, um mecânico. Pessoas comuns com quem você provavelmente teria contato no seu dia a dia, sem estereótipos exagerados. Se essas características vão aumentar ou diminuir o carisma de cada um deles fica a cargo do jogador, mas a maior parte os considera menos carismáticos, principalmente Rochelle que por algum motivo é odiada por todos que conheço. Inclusive por mim (mas eu sou uma pessoa triste… blá-blá-blá…).

Melhor lapidado
L4D2 é basicamente L4D melhorado. O conceito básico é o mesmo, o objetivo é o mesmo e a jogabilidade é quase idêntica. Quase. Pra quem queria mais do mesmo é ótimo, um prato cheio de muito mais horas de correria, zumbis e gritaria na tentativa de salvar seu próprio rabo. Infelizmente tamanha semelhança nos leva a crer que L4D2 poderia ser uma atualização do primeiro. Eu não concordo com este ponto de vista, acredito que as diferenças são muito significativas mesmo que pareçam apenas detalhes. A maneira como o jogo de comporta e como você deve se adaptar a ele enquanto ele se adapta a você faz L4D2 um jogo com personalidade própria e, portanto, um novo jogo.

O que há de novo
Armas, muitas armas. AK-47 (motivo pelo qual eu comprei este jogo), Combat Shotgun e Grenade Launcher são três das novas belezinhas disponíveis como suas armas principais. Como secundárias temos, por exemplo, a Magnum, uma arma com pouca munição mas extremamente satisfatória de ser usada, e a grande novidade: as armas de combate corpo-a-corpo, ou melee weapons. Machados, pés-de-cabra, facões e katanas, entre outras, podem ser encontradas e além da vantagem de não precisarem de munição são muito divertidas de usar. O destaque fica pra ignorante serra-elétrica, uma estupidez em forma de arma pena que dependa de uma pequena reserva de combustível.

Temos também melhorias para as armas. Uma mira laser elevará sua quantidade de headshots, enquanto que munições incendiárias e explosivas vão ajudar muito com hordas e principalmente com Tanks. Além disso, o jogador conta com uma nova granada, a Bile Bomb, um frasco com Boomer Bile com o qual você pode direcionar a horda para um local ou até um inimigo. Também temos agora o desfibrilador, um equipamento capaz de reviver companheiros e muito útil em dificuldades mais elevadas.

Além dos originais três novos especiais vão infernizar sua vida. O Charger é um Tank mal formado, muito perigoso em corredores apertados mas fácil de lidar em campo aberto. O Jockey é um pequeno maldito que sobe em suas costas e te direciona para qualquer lugar onde seu dano seja maximizado. E a Spitter cospe um ácido poderoso que preenche uma boa área causando grande dano a quem estiver ali. Além destes ainda temos os zumbis “incomuns”, um grupo com características especiais que dão alguma dor de cabeça. Alguns têm roupas com áreas refletivas, que podem atrair zumbis comuns, outros podem permanecer submersos nos pântanos até o momento do ataque, os de armadura só recebem dano pelas costas e os palhaços atraem outros com o som de seus típicos sapatos.

Novos modos de jogo também enriquecem o todo. O modo Scavenge separa os jogadores em equipes como o Versus, mas o objetivo é coletar combustível para um gerador ou carro. Realism é onde o treinamento realmente acontece, colocando o jogador bem próximo de uma situação real, onde você não pode ver a localização de seus companheiros através de paredes, seus tiros causam menos danos no corpo dos zumbis e estes causam mais danos a você, entre outras mudanças.

Todo este conjunto forma um novo jogo que mesmo muito parecido com o original não poderia ser apenas uma atualização.

Nem tudo são flores
Infelizmente além das críticas ao carisma a equipe de desenvolvimento cometeu um erro grave, a inteligência artificial dos sobreviventes é muito inferior à de L4D. Enquanto no primeiro o objetivo principal deles era proteger os jogadores, em L4D2 eles se preocupam demais em proteger a si mesmos, muitas vezes causando sua morte por negligência, o que é muito frustrante.

Uma continuação digna
Qualquer problema de Left 4 Dead 2 é superado por suas qualidades. Esta é uma sequência que supera a original e vale cada minuto jogado. A única coisa que pode fazer este jogo significativamente melhor são os personagens e campanhas do primeiro, e esta implementação já começou a ser feita oficialmente. =)

Sobre o autor

  • Nunca havia jogado Left 4 Dead.
    Nunca tive um PC que pudesse rodar o jogo!

    Comecei logo com Left 4 Dead 2 e digo curti MUITO!

    Aliás, a jogabilidade online é FODA!